São José do Rio Claro (MT), 06 de abril de 2020 - 02:24

? ºC São José do Rio Claro - MT

Eleições

Airton Marques / RD News 13/03/2020 23:36

12 são lançados ao Senado; esquerda, agro, família e bala representados

eleição suplementar ao Senado terá inflação de candidatos. No total, após maratona de convenções que terminou ontem (12), 12 nomes irão disputar a cadeira da senadora cassada Selma Arruda, que ainda será declarada vaga. A eleição está marcada para 26 de abril. Nas urnas, os eleitores terão opções de políticos ligados a diversos seguimentos, como liberal, da esquerda, do agronegócio, família e bala.

O primeiro a ser confirmado na disputa foi o vice-governador Otaviano Pivetta (PDT). Na terça (10), o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde confirmou que terá como primeiro-suplente Adilton Sachetti (PRB), que já foi deputado federal e prefeito de Rondonópolis.

A segunda-suplência, ainda não há uma definição, até ontem, tudo indica que seria ocupada pela ex-reitora da UFMT Maria Lúcia (PCdoB). Pivetta, no entanto, recebeu o apoio do PSB, que deve indicar o nome a compor chapa. O pedetista também tem o PV no arco de alianças.

Na quarta (12), o experiente Júlio Campos foi confirmado pelo DEM. Ele terá como primeiro-suplente o deputado estadual Dilmar Dal Bosco, do mesmo partido. Na segunda o PL, do senador Wellington Fagundes, após muito conversar com diversos candidatos, decidiu indicar o ex-vereador por Rondonópolis Zé Marcio Guedes.

Júlio também conta com o PTB na chapa. O prefeito Emanuel Pinheiro, apesar de ainda não ter sido liberado pelo MDB para pedir voto ao democrata, é apoiador declarado.

Carlos Fávaro (PSD), que espera Selma deixar o cargo para virar senador tampão, foi lançado na noite de ontem e terá a empresária Margareth Buzetti (PP) como primeira-suplente. Na segunda, está o filho do deputado estadual Nininho, Fernando Bortolini (PSD). Com o apoio do ex-ministro Blairo Maggi (PP), Fávaro ainda tem expectativa de contar com o governador Mauro Mendes (DEM) no palanque.

Sem apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado federal José Medeiros (Podemos) terá na chapa o vice-prefeito de Cuiabá, Niuan Ribeiro, como seu primeiro suplente, e a coronel da reserva da PM, Zózima Dias dos Santos.

O ex-deputado federal Nilson Leitão foi confirmado pelo PSDB ontem, em Sinop, onde fica sua base eleitoral. Os suplentes, no entanto, devem ser definidos até está noite. Tudo indica que irá encabeçar chapa pura.

Empresários e cristãos

Bolsonaro (sem partido) lançou uma desconhecida para a disputa. A Coronel Fernanda (Patriota) foi a escolhida para testar a popularidade do capitão em Mato Grosso. Em chapa pura, terá o ex-deputado federal Victório Galli e o Tenente Luciano Esteves na primeira e segunda-suplência, respectivamente.

Outro militar a ser lançado foi o deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), que em chapa com o PSL terá os suplentes: tem. Cel. Zilmar Dias da Silva (primeiro) e 3° sargento Lucélia Alves do Santos (segunda).

No campo liberal, o Novo lançou o economista Feliciano Azuaga. Já o PSC, dos deputados Xuxu Dal Molin, e Sebastião Rezende, lançou a candidatura ao Senado do empresário Reinaldo Morais, um dos maiores produtores de suínos do país.

Campo popular

O PT acabou isolado e terá chapa pura encabeçada pelo deputado estadual Valdir Barranco. Ainda no campo popular, o Pros se aliou a Rede Solidariedade e lançou a superintendente do Procon-MT Gisela Simona.

No Psol o de sempre. O Procurador Mauro vai disputar o Senado pela terceira vez, e com chapa pura, já que a sigla se recusa a fazer coligações.


Mega Notícias

Mega Notícias tem como objetivo primeiro o de Informar com ética, isenção e profissionalismo tudo o que acontece.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo